Pesquisar:

Notícia publicada em: 05/05/2015 às: 08:05:04
Por: Fateb
Economia criativa gera emprego a 842 profissionais em Araçatuba

A geração de empregos formais pela indústria criativa no município de Araçatuba cresceu 124% em um intervalo de nove anos. Composto por atividades econômicas cuja produção se apoia na criatividade, conhecimento e gera propriedade intelectual, o setor respondeu pela ocupação de 842 profissionais na cidade, em 2013.

 

O número foi levantado por mapeamento mais recente desenvolvido pelo Sistema Firjan (Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro). De acordo com estudo da entidade, no ano de 2004, a indústria criativa empregava 375 trabalhadores em Araçatuba, o que demonstra a expansão do setor quando se comparam os números mais recentes.

 

Em âmbito nacional, o volume de profissionais cuja principal ferramenta de produção é a criatividade cresceu 90% no mesmo período, alcançando 892,5 mil trabalhadores com carteira assinada em todo o Brasil. 

 

Conforme levantamento referente a 2013, o segmento de TIC (Tecnologias da Informação e Comunicação) possui a maior participação na economia criativa de Araçatuba, ocupando 135 pessoas naquele ano, 70,8% a mais que os 79 profissionais contabilizados em 2004.

 

O quadro de funcionários criativos era formado por 24 gerentes de tecnologia da informação, cinco programadores de internet, dois programadores de máquinas e 104 programadores de sistemas de informação. 

 

A economia criativa em Araçatuba é formada também pelos segmentos de arquitetura, artes cênicas, audiovisual, biotecnologia, design, editorial, expressões culturais, moda, música, patrimônios e artes, pesquisa e desenvolvimento e publicidade.

 

O presidente do grupo Assessor Público, Paulo Pereira de Carvalho Filho, que atua em soluções de tecnologia da informação, acredita que o grande desafio do segmento é produzir sempre algo novo e diferenciado, o que requer criatividade, investimento em equipamentos e na qualificação de funcionários. "Buscamos incentivar a formação continuada dos profissionais, como estímulos à realização de pós-graduação", afirma.

 

Fonte: http://www.folhadaregiao.com.br/Materia.php?id=349727